She Wants Revenge Brasil: O Aquecimento.

Olá Reds, voltamos com mais uma matéria sobre o show de São Paulo.

Infelizmente nosso material ainda não chegou para edição, então, faltará algumas coisas, mas assim que estiver com o material, atualizarei o post.

No fim da primeira matéria, mencionei o fato de termos chegado ao Clash e estar com as portas fechadas.

Estava caindo a temperatura, eu particularmente estava com frio, mas a tensão me fez tirar o casaco enquanto a @ramireznadia tocava o interfone para anunciar a nossa chegada. Uma simpática moça atendeu e segue a transcrição da conversa.

@ramireznadia – Oi, nós somos do @SWRBr e chegamos para a entrevista.

@clashclub – Olha, nós não estamos sabendo de nenhuma entrevista, se for acontecer será após as 19hrs.

@ramireznadia – Ok, obrigado.

(Clique em leia mais para ler toda a matéria!)


Na hora confesso que meu sangue ferveu, tava tudo caminhando certo demais para ser bom. O @Teco_edukator olhou para a minha faceta claramente irritada e se perguntou “E agora?”, já a @ramireznadia se empolgou com um carrinho que vendia milho e seus derivados e sob piadas do @teco_edukator, ela foi comprar o milho que ela saboreou até raspar o pratinho.

@ramireznadia, pratinho de milho e @teco_edukator

Eu estava me sentindo extremamente desconfortável com aquela situação, com isso, decidi tentar conversar com algum resposável da casa cara-a-cara. A @ramireznadia tornou a interfonar e a simpática moça atendeu o pedido e notificou que um responsável já desceria para conversar conosco. Um som rolava lá dentro, brevemente abafado pelas portas de aço que lacravam o local, algo me dizia que eles possívelmente estavam lá dentro, até por que, não tinhamos informações sobre o vôo do Chile até aquele momento.

Enquanto a @ramireznadia e o @teco_edukator conversavam e procuravam se distrair, eu estava claramente tenso. Peguei o celular e tentei ligar para o Tour Manager do duo, com quem eu estava em contato constante, diversas vezes caia direto na caixa postal, presumi que estavam no avião ainda e a tensão aumentava. Com aquela situação, complicava os planos para o esquenta na estação Marechal Deodoro, que dentro dos planos, estariamos lá para se encontrar com o pessoal. Passada meia hora de espera no frio (totalizando 45 minutos desde nossa chegada na Clash) e cheio de angústia, eis que um carro da TV Cultura se aproxima da Clash, ali meu sangue ferveu ardentemente, afinal, nossa entrevista com o duo tinha sido negociada em modo “exclusivo” em solo paulistano, eis que as contradições começam aparecer após vários minutos de espera no frio, com o sangue quente. Nesse momento, a @ramireznadia tava doida para ir falar com o cara, mas nos mantemos calmos e frios junto a situação. Um rapaz desceu do carro da emissora e se apresentou para um segurança da casa que guardava uma das entradas e  eu mantinha meus ouvidos como o de uma coruja no breu da noite escutando como iria prosseguir aquela conversa. O segurança saiu da entrada e foi chamar algum responsável para conversar com o rapaz da “imprensa”, naquele momento o @teco_edukator fez uma bela menção: “Lógico que iremos ficar sentados e esperando, nós somos o fã-clube e não a imprensa, não teremos prioridades com a casa, mas sim com os artistas e sua produção.” E ele tem toda razão. Mas guarde esse detalhe para daqui a pouco. Eu tentei novamente ligar para o celular do Tour Manager do duo e eis que ele atende, mas os barulhos ambientes eram muito altos e não foi possível ter uma conversa própriamente dita, apenas ruidos ambientes. Após cinco minutos de espera do enviado da emissora de televisão, eis que aparece um “responsável” pela casa, Tiago, dono da casa, e segue direto para conversar com o rapaz da imprensa, enquanto isso a @ramireznadia queria correr lá para marcar presença, o @teco_edukator observava cada segundo com seu olhar clinico de advogado sem OAB e eu procurava controlar a irritação e pedia calma para a @ramireznadia. Enquanto isso, escutavamos atentamente cada palavra que era dita, por fim ele acabou comunicando o rapaz que eles estavam atrasados, não tinham chego em Guarulhos ainda (A-ha! Eis que desse momento em diante eu descobri que teria informações com minutos de antecedência do que ele, pelo resto da noite) e que eles teriam que gravar a matéria deles lá pelas 19 horas. E nós lá três estavamos em um canto, parados, esperando, até que me ocorreu a idéia de que se eles não tinham sido préviamente atualizados sobre a nossa chegada, eu deveria comprovar nossa autênticidade e que não eramos apenas fãs tentando a sorte. Enquanto a conversa ao lado seguia, eu já abria meu email e deixava as mensagens prontas para a revelação. O rapaz da TV Cultura, Pablo, terminou de conversar com o Tiago e seguiu para o carro, eu dei alguns passos e eis que o Tiago diz “Agora vocês”, devidas apresentações feitas, fomos direto ao assunto, ele notificou que não sabia sobre nós e teriamos que esperar lá fora até um contato oficial e citou que eles estavam no ar ainda, até que mencionei que tinha acabado de ligar para o Tour Manager e que já estavam em solo, ele surpreso olhou, afinal, tinhamos mais informações do que ele, mas mesmo assim ele não poderia nos deixar entrar na casa e eu prontamente mostrei os emails e ele confusamente concordou que tinhamos provas o suficiente de que estavamos ali legitimos e nos autorizou esperar dentro da casa.

@Teco_Edukator, @Felipe_Dero, Tiago e...Milho (@ramireznadia).

Recolhemos todas as nossas coisas que estavam espalhadas pela porta da Clash, entre equipamentos e pertences pessoais e entramos na casa. A minha primeira impressão foi interessante, por que de fora não tem como ter noção do tamanho do espaço, que tranquilamente comporta cerca de 1,200 pessoas com folga. Junto conosco entrou o Pablo, da TV Cultura, que falava ao celular enquanto nós arrumavamos nossas coisas e a @ramireznadia terminava seu tão amado milho.

@Felipe_Dero, @ramireznadia e @Teco_edukator.

Essas fotos não ilustram muito o estado de nervos que eu estava naquele momento, apesar de como o próprio @teco_edukator diz, o momento chave daquele dia foi termos nossa entrada autorizada após mostrar os emails do Tour Manager, mas mesmo assim, minha cabeça estava no 220v e eu queria que tudo fosse perfeito, que não fugisse do planejado, mas realidade começava se moldar em outra forma, a banda estava presa no aeroporto, nós estávamos esperando, a casa estava esperando, a imprensa estava esperando e o pessoal que iria nos encontrar para o esquenta na Marechal Deodoro, também estavam esperando. Segui para conversar com o Tiago sobre o nosso camarote, que inicialmente tínhamos sido informados que seria o primeiro próximo ao palco, mas já no local, o nosso seria o segundo, o primeiro não é “comercializado” e apenas convidados ficam lá. A partir desse momento vi que faltava uma certa organização da casa, inocente eu, isso era apenas o começo. Conforme os minutos se desenrolavam, eu ficava mais e mais tenso pela situação do tempo, eles chegariam tarde na casa, com isso, as chances da entrevista dar certo diminuíam, o @teco_edukator se irritava com meu estado, e com toda razão, afinal, o brilho nos olhos dele eram sinceros, nós estávamos lá dentro, uma hora ou outra, iríamos encontrar com eles, se a entrevista fosse acontecer ou não, era detalhe, o importante era que nós tinhamos conseguido. Mas ele com seu enorme coração paternal se prontificou em ir buscar os que estavam esperando na Marechal Deodoro, a @ramireznadia tinha que ir para a estação buscar a @mellsalti e eu iria ficar esperando a chegada do duo. Mas enquanto o tempo não passava, resolvemos ocupar nossas mentes preparando os equipamentos e nos preparando para a entrevista, não sabiamos se iria acontecer ou não, mas tinhamos que estar preparados.

[

Eram 17:30 e o palco vazio.

O iPod do Tiago tava ligado, belo gosto musical.

Enquanto transportávamos nossas coisas para o camarote, por um impulso fui conversar com o Pablo da TV Cultura, eu queria saber como ele tinha conseguido estar lá, afinal, eu ainda estava irritado com a nossa “falta de exclusividade”. Me aproximei, me apresentei e começamos a conversar sobre os acontecimentos e ele estava para desistir. Eles iriam apenas fazer uma breve filmagem da passagem de som para rodar no programa Metropolis daquele mesmo dia 09/09, mas pelo horário, não iriam conseguir. Quando questionado de como tinha conseguido estar lá para fazer essas filmagens, ele revelou que haviam sido contatados pela Clash Club, eis que me deparei com a seguinte situação, a Clash saiu marcando imprensa e filmagens por ai, sem nem ter consultado os administradores da banda, enquanto isso, nós que estavamos negociados diretamente com a administração da banda fomos largados por quase uma hora fora da casa até que alguém resolvesse nos atender, e sim, nós tinhamos direitos exclusivos em solo paulistano, mas como o próprio Pablo disse, “Esse papo de exclusiva, é lenda”, fato.

Mas com ele a beira da desistência, resolvi fazer uma proposta em nome do fã-clube e do nosso site. Já que eles estavam sem tempo hábil para fazer imagens ou gravar qualquer conteúdo do duo, eu ofereci alguns minutos de nossa filmagem e um trecho de nossa entrevista para eles tendo como retorno a divulgação do nosso fã-clube, ou no mínimo, os créditos ao nosso site, pela cobertura. Para ele a proposta era interessante, ele me pediu uns minutos para entrar em contato com os superiores dele e ver o que poderia ser feito. Enquanto isso contei ao @teco_edukator e a @ramireznadia o que tinha sido conversado e chegamos ao consentimento que seria um bom passo de marketing para nosso site.

Negociando.

Eis que alguns minutos depois ele retorna perguntando o número do meu celular, que ele iria passar para os superiores dele que iriam entrar em contato comigo para negociar os detalhes dessa troca de materiais e que mais tarde chegaria uma equipe de filmagem que iria discutir os termos técnicos.

Ficamos bem contentes com isso, mas rapidamente voltamos ao trabalho, tínhamos que testar os nossos equipamentos, relaxar um pouco e confesso que eu estava precisando de um drink pra ontem naquela altura, meus níveis de stress já tinham passado o limite e o @teco_edukator me xingava toda vez que eu me mostrava impaciente, irritado ou tenso.

Um, dois, três, testando...

Eram 18:15 da noite, os funcionários da casa começavam ir embora, o som ambiente vindo direto do iPod do Tiago rolava na casa e o @teco_edukator e a @ramireznadia estavam indo para a Marechal Deodoro.

Fiquei aproximadamente uma hora lá dentro, praticamente sozinho e procurando me acalmar, mas eu ainda precisava beber algo, nem que fosse água, sai da casa e vi que já tinha algumas pessoas lá fora esperando e achei super bacana de ver aquilo, eu sinceramente não esperava.

Acendi um cigarro e aproveitei o vento gelado que batia lá fora enquanto os funcionários noturnos chegavam em turmas. Percebi que existia um pequeno bar ao lado da Clash e corri lá comprar uma cerveja, eis que tinham mais pessoas já lá dentro esperando e o som ambiente do bar? She Wants Revenge, precisamente, naquele instante tocava “Black Liner Run”, abri um sorriso, por que não é todo dia que você entra em algum lugar e esta tocando b-sides do SWR. Descobri que realmente eu estava com sede, tomei aquilo em quase dois goles, terminei meu cigarro e voltei para dentro da Clash, onde começavam os testes de iluminação e eu pude perceber que a hora estava passando e que aquilo tudo estava realmente acontecendo.

Fiquei acompanhando do camarote o jogo de luzes se formando, o movimento de apagar e acender do strobo, os paineis acendendo e apagando e completando aquela jornada de luzes, uma música suave e muito gostosa de se escutar saia do iPod do Tiago. (Nota: Até agora não sei que música é aquela e acabei esquecendo os trechos e nem lembrei de pesquisar no celular no ato)

Por volta das 18:50 recebi uma mensagem no celular e no mesmo tempo descobri o que seria um pesadelo pro resto da noite, a bateria do meu celular estava acabando. A mensagem era do Tour Manager falando que estavam presos no aeroporto mas que o duo estava indo para a casa.

Nesse momento eu vi uma movimentação estranha por parte da administração da casa, ligações internacionais pra cá, correria pra lá, até que tive a brilhante idéia de dar uma conferida no twitter e vejo o tweet do Adam dizendo que os equipamentos deles tinham, desaparecido. Pronto, o caos está de volta, o pânico e acima de tudo, explicado o que era aquela movimentação estranha. Parei por uns segundos para analisar os acontecimentos, eles tinham ficado sem vôo para São Paulo, tiveram que ir para o Chile e chegaram atrasados para a passagem de som, que aconteceria fora do horário, não passariam no hotel e viriam direto para a casa e agora, para melhorar, os equipamentos desapareceram, consequência, passagem de som com mais atraso, faltando pouco mais de uma hora para a abertura da casa, caos.

Naquele instante comecei a fazer ligações e conferir emails e tweets procurando mais informações, até que vejo o Tiago passando e fui em sua direção e questionei: “Como está a situação dos equipamentos?”, ele com uma cara de surpresa maior do que quando viu os emails no meu celular, instalou-se um ponto enorme de interrogação na sua face e certamente pensou “Como raios ele sabe disso também?” e me respondeu: “Estamos procurando equipamentos para alugar, parece que os deles tá em outro avião”. Novamente, caos.

Peguei o celular e liguei para o @teco_edukator, precisava atualiza-lo das noticias, e eis que:

@Felipe_Dero – O pessoal já chegou ai?

@Teco_edukator – Tem um pessoal aqui já =D

@Felipe_Dero – @Ramireznadia e @Mellsalti?

@Teco_edukator – Estão chegando ai já.

@Felipe_Dero – Tenho novidades que não são boas, não sabe o que aconteceu.

@Teco_edukator – O que?

@Felipe_Dero – Os equipamentos deles sumiram, parece que estão em outro avião. Eles tão vindo para cá já, vai levar uma hora de Guarulhos até aqui, não vão nem pro hotel. A casa ta tentando alugar equipamentos para eles.

@Teco_edukator – *Pânico* Fodeu.

@Felipe_Dero – Não conta pra ninguém que está ai contigo até eu ter mais informações e garantias!

@Teco_edukator – Sério que não posso contar?

@Felipe_Dero – Melhor não, evitemos o pânico.

@Teco_edukator – Beleza, me mantenha informado.

Enquanto eu corria atrás de informações e descobrir que os equipamentos estavam no avião da American Airlines que saiu de Dallas e não no que veio do Chile com eles e estava preso na alfândega, nesse meio tempo, o Tour Manager e um enviado da Clash Club estavam no aeroporto tentando retirar os equipamentos de lá e a administração da casa procurava equipamentos para alugar.

A @ramireznadia e a @mellsalti chegaram, atualizei dos acontecimentos enquanto elas preparavam filmadora, câmera e se arrumavam.

Eu andava pela casa e a bateria do celular ia acabando, até que fui lá fora acender um cigarro e eis que vejo uma “fila!”, já tinha bastante gente na porta da Clash, e os funcionários me olhavam como quem diz “Quem é esse ai?”, nesse instante, encontrei com uma parte do pessoal da comunidade do orkut, que foram direto para a Clash.

Voltei para dentro da casa, a @ramireznadia e a @mellsalti sairam para tomar e comer alguma coisa enquanto eu continuava atrás de informações.

Quando foi por volta das 20:15 o @teco_edukator chegou na casa e deixou o pessoal que veio com ele na porta. Atualizei com as últimas novidades enquanto recebíamos olhares tortos dos funcionários da casa. Precisávamos consumir e fomos atrás de informações sobre nossas pulseiras do camarote, eis que recebemos pulseiras de Staff da casa, até que justo por um certo ponto de vista, mas sofremos duras criticas de terceiros por estarmos com tantos privilégios.

Estávamos os quatro juntos finalmente, @ramireznadia, @Mellsalti, @Teco_edukator e @Felipe_Dero, a staff do @SWRBr estava junta, faltando poucos momentos. Meu celular tocou, e era uma das integrantes do camarote, a Sabrina, que tinha acabado de chegar na Marechal Deodoro, e quando o @Teco_edukator e seu coração de paizão da galera escutou que ela estava lá e eu estava ensinando como chegar, ele quase surtou e ficou super chateado, ele estava com uma imensa preocupação desde o começo em não deixar ninguém para trás. Ela acabou pegando um taxi e quando chegou na porta me avisou.

Eis que estávamos no balcão do bar conversando, e resolvemos tirar uma foto de nós, pedimos para um dos funcionários tirar, com as duas câmeras e o resultado:

Staff Reunida: @Teco_edukator, @Felipe_Dero, @Mellsalti e @ramireznadia (Sem milho!)

Depois de tirarmos as fotos, estavamos mais descontraidos, até que a @ramireznadia decide ir ao banheiro.

Não demorou mais do que três minutos ela volta correndo com uma cara de “psicona” e diz: “Eles chegaram!”

Eis que olhamos por trás dos seus ombros e lá estavam entrando na casa, Justin Warfield, Adam Bravin, Thomas Froggatt e Scott Ellis, naquele momento os quatro ficaram sem respiração, ficaram surdos, ficaram com o corpo pesado e a mente leve até que o Justin olha diretamente para a minha pessoa, abre um sorriso e acena. Eles subiram as escadas em direção ao camarim e nós acordamos de um sonho momentâneo e aquilo realmente estava acontecendo, prontamente todos estavam instruidos, @Teco_edukator tinha sua câmera em mãos, @mellsalti preparou a câmera e os acessórios, @ramireznadia deixou a filmadora pronta e eu, eu procurava respirar fundo, por que aquilo estava acontecendo.

E a aventura continua no próximo episódio.

Aguardem.

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s